agosto 30, 2016

Depoimentos

“Comecei a trabalhar aos 12 anos e, por último, trabalhei durante 14 anos na Fiat Automóveis. Nos dois últimos anos em que eu estava na empresa, resolvi voltar a estudar e entrei no curso de Direito da PUC Minas. Algum tempo depois, fiquei desempregado. Mas não desisti e continuei com o curso, apesar de começar a viver dificuldades financeiras. Queria ir atrás do meu sonho! Um dia, um amigo me falou sobre a Fundação José Fernandes de Araújo, que, desde então, tem me ajudado a completar meu curso e conquistar aquilo que eu desejo.”
Amauri Eustáquio Souza
Cursando o 8º período de Direito -  47 anos
August 31, 2016
A Fundação José Fernandes de Araújo não se tornou apenas uma entidade que me dá um auxílio financeiro, mas parte da minha família. Não me esqueço das palavras de Dom Serafim, no primeiro dia em que vim aqui: ‘o que oferecemos não é uma esmola, mas uma ajuda pra vocês levarem adiante e ajudarem ao próximo”. Graças a esse auxílio financeiro, serei o primeiro na minha família a ter um curso superior. Meu avô foi pedreiro a vida inteira e sempre dizia que eu seria servente e pedreiro. Ultimamente ele dizia: ‘o servente está virando engenheiro, doutor!’. Nunca tínhamos o dinheiro para pagar a matrícula e as mensalidades. Mas, graças a Deus, o dinheiro sempre aparecia, com a ajuda de meu pai e meus tios. Foi então que fiquei sabendo da Fundação, que passou a me ajudar desde o segundo semestre de 2013 até hoje. Se não fosse a Fundação, não sei como teria conseguido prosseguir com o curso.”
Kleyton William
Cursando o 9º período de Engenharia Civil. -  22 anos
August 31, 2016
Nossa família morava em Divinópolis e minhas duas filhas vieram estudar em Belo Horizonte. Ellen fazia publicidade na PUC Minas e, em 2015, tivemos problemas financeiros. Decidi vir para BH para tentar formas de manter as duas estudando. No colégio onde minha outra filha estuda, me indicaram a Fundação José Fernandes de Araújo. Quando cheguei aqui, fui muito bem acolhida, analisaram nossa situação e concederam o auxílio financeiro. Cheguei aqui arrasada e saí renovada! Faltava apenas um ano para a Ellen formar! Em julho passado, ela se formou e participou da missa celebrada por Dom Serafim, aqui na Fundação. Essa ajuda foi tão importante, que eu me coloco à disposição para ajudar no que for preciso, para que a Fundação seja mais conhecida e siga com essa missão!” - Sandra Cristina Caixeta Ribeiro, mãe de Ellen Ribeiro Tinoco. “Desde criança sempre fui muito criativa e decidi fazer o curso de Publicidade e Propaganda. Graças à Fundação, que nos ajudou no 7º e 8º períodos, pude concluir meu curso. Sou muito agradecida por esse apoio!” - Ellen Ribeiro Tinoco, 22 anos, recentemente formada.
Sandra Cristina Caixeta Ribeiro e Ellen Ribeiro Tinoco, mãe e filha
Ellen tem 22 anos e recentemente se formou em Publicidade e Propaganda
August 31, 2016
Estudei por um ano e meio em Itaúna, onde morava, mas eu tinha sonhos maiores, e decidi vir para Belo Horizonte. Minha madrinha, que custeava meu curso em Itaúna, não poderia me manter em BH; então vim na esperança de encontrar meios de me manter e de pagar meu curso na PUC. Estava com muitas dificuldades financeiras, quando soube da Fundação. Entrei no site, me informei e me inscrevi. Apresentei a documentação e consegui o auxílio financeiro que, para mim, significou muito mais do que uma ajuda financeira: deu estrutura e tranquilidade para mim e minha família, para que eu pudesse me dedicar ainda mais ao meu curso. A ajuda da Fundação atinge todo o ecossistema familiar, dá estrutura para que a família se organize financeiramente.”
Ludmila Faria Barbosa
Cursa o 10º período de Direito e já foi aprovada no exame da OAB -  23 anos
August 31, 2016
Sou de Gouveia, onde vivia com minha família, com muita dificuldade financeira. Quando fiz 18 anos, me casei e fui morar em Aracaju. Seis meses depois, voltamos e viemos para a casa de minha irmã, em Belo Horizonte. Consegui um emprego como recepcionista em um salão e meu marido estava desempregado. Foi quando ele ficou sabendo de uma vaga para trabalhar como recepcionista na Fundação José Fernandes de Araújo. Consegui o emprego e ainda concorri ao auxílio financeiro educacional para o curso na PUC. Esse contato com a Fundação transformou minha vida completamente. Nunca conseguirei retribuir o que a Fundação fez e faz por mim e minha família.”
Kerley Marinho de Ávila
Cursa o 8º período de Educação Física -  24 anos
August 31, 2016